GR7 NOTÍCIAS

Polícia investiga pais após bebê ser levada ao hospital com mais de 30 lesões no corpo

 


A Polícia Civil investiga os pais da bebê de seis meses que foi levada ao hospital com mais de 30 lesões no corpo, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a delegada responsável pelo caso, Kênia Duarte, um exame de corpo de delito, que pretende apontar o que causou os ferimentos, deverá ser feito nos próximos dias. A menina está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da capital.

“Nós pretendemos esclarecer se essas lesões foram causadas intencionalmente ou por descuido e de que forma ocorreram. E também as pessoas envolvidas devem ser ouvidas nos próximos dias, a fim de verificar se há coerência ou contradições”, afirmou.

Os nomes dos investigados não foi divulgado pela corporação. Portanto, o G1 não conseguiu localizar a defesa deles para que pudesse se posicionar sobre as acusações.

O caso foi registrado na noite de segunda-feira, 10, quando a bebê foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento Pediátrico, em Anápolis. Na local, após perceber pelo menos 30 hematomas aparentes pelo corpo da bebê, a médica suspeitou que a criança fosse vítima de maus-tratos e acionou as autoridades.

Segundo a enfermeira chefe da unidade, Wanessa Gusmão, a menina já chegou no local com dificuldade para respirar.

“Ela não estava respondendo aos comandos solicitados pela equipe. Tínhamos de fazer avaliações neurológica, motora, respiratória, mas ela não respondia”, explicou.

Segundo a mãe da bebê informou ao Conselho Tutelar e à PM, o pai estava com a criança no colo quando percebeu que ela não estava bem. O homem chegou a ser levado à delegacia, informou à polícia que não sabia o motivo dos hematomas e foi liberado.

“A mãe disse que o bebê estava ‘molinho’ no colo do pai e acionou o Corpo de Bombeiros, que levou a criança ao hospital. A mãe foi junto acompanhando”, disse o conselheiro tutelar Miqueias Duarte.

Após o atendimento inicial, a criança foi transferida para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde segue internada, em Goiânia. Segundo o último boletim divulgado pela unidade, às 10h24 desta quarta-feira, 12, o estado de saúde da bebê é grave e ela respira com ajuda de aparelhos.

Miqueias disse ainda que o Conselho Tutelar aguarda um parecer da Polícia Civil informando se o caso tem relação com maus-tratos. Por enquanto, a criança segue acompanhada pela mãe, no hospital. Ainda conforme o conselheiro, não havia nenhuma denúncia anterior relacionada aos pais do bebê junto ao conselho.

“Se a investigação constata que os pais são esses agressores, aí é um perigo para a criança. Aí a gente precisa estar a par dos outros familiares, para saber se eles tinham noção de alguma agressão já praticada anteriormente”, afirmou. 

(*) Com informações do G1

Nenhum comentário